f7777f75a6e5c563e597492e12593cc5

O que é Namastê?

Publicado em 13/07/2014 • Coluna

Assim que comecei a praticar ioga, logo aprendi que dizer Namastê era uma saudação que, traduzida livremente, significava “O Deus que há em mim saúda o Deus que há em você”. Significa dizer que devemos respeitar o outro, ainda que discordemos, ainda que não andemos pelo mesmo caminho.  Nas práticas iogues, além de dizer Namastê uns aos outros, costumamos também colocar as mãos em prece e fazer uma leve curvatura com a cabeça. Ou fazer o gesto sem mencionar a palavra.

Em sânscrito significa “curvo-me perante a ti”. Mas, entendam, não se trata de ‘humilhação”. Humilhação e humildade, na realidade, são palavras bastante distintas. Então, é uma curvatura muito respeitosa entre as pessoas e, na minha visão, uma completa tendência que jamais deve cair em desuso por lá. E que se amplifique por aqui. Especialmente fora das salas de aula de ioga.

Se pararmos pra pensar mais um pouco, podemos ir além. Podemos perceber que ao respeitar o outro ser em sua essência, estamos afirmando que, aqui ou em outra dimensão, somos todos um só, pertencemos à mesma energia, à mesma vibração. E cada Eu Superior, ou Espírito Santo, ou como for, é respeitado e amado nesta dimensão e em todas as dimensões.

Mas, o importante de tudo isso é trazer a essência da coisa para o nosso dia a dia. Ao nos apropriarmos a palavra no nosso cotidiano, aqui no Brasil, não é necessariamente um ato idêntico ao hindu. Podemos nos apropriar, sim, do significado sublime contido nele: respeitar o outro, identificá-lo como parte de nossa vida, ter compaixão por todas as criaturas vivas e, especialmente, usar do amor para com o mundo. Ao dar bom dia – de verdade -, ao ajudar um cachorro, ao olhar e sorrir verdadeiramente para alguém: isso também é saudar o Deus que habita no outro. Né? :)

É isso, luzinhas. Muito Namastê pra vocês.

Mila Ribas.

 

Ah! Ilustração daqui.

 



Escreva seu comentário

* Campos obrigatórios