terapeuta-ego

Os falsos gurus da espiritualidade

Publicado em 03/07/2014 • Coluna

Relutei um pouco em escrever este texto para evitar uma carga energética de pensamentos sem necessidade. Mas achei bacana esclarecer para quem quiser ser esclarecido que, entre as tantas pessoas sérias que estudam a área espiritual, existem, sim, muitas delas mal informadas e eventualmente de má índole que, não necessariamente tomam atitudes desprezíveis em pleno uso de sua capacidade intelectual.

Venho acompanhado uma senhora que posta vídeos e textos sobre a glândula pineal, não uso de carnes, prega o não tatuamento do corpo, etc. Obviamente que suas convicções são legítimas, mas lembremos: em algum nível somos todos formadores de opinião – e isso exige responsabilidade. Uma das primeiras coisas que estranhei foi o fato dela ter contato um dia que foi tomar uma açaí, nele sentido uma energia estranha, e exigido ver quem manuseou – no caso, o chef da casa. Para ela, a energia ruim vinha das tatuagens do rapaz, sendo assim, diretíssima:  ‘tatuagens fazem mal à aura’, segundo disse, de maneira bem arrogante. Entretanto, uma pessoa tatuada também tem o direito de recompor sua aura e pode fazer usando da energia para isso. Seja com Reiki, florais, seja com elevação da vibração, não há poder maior que nosso amor para com os irmãos. Tatuado ou não, fazer com amor é o principal disparador de energias positivas no universo. Obviamente o rapaz em questão não fez com amor para ter chamado atenção dela em um nível tão sutil. Mas a tatuagem, em si, não vai significar o que ela propôs. (E não, não tenho tatuagens.)

Praticamente todos os outros posts falavam no mesmo tom: desqualificando quem come carne, entre outras coisinhas. Ora, que cada um tenha seu caminho de luz! E mais: pra quê julgar? Não, não faz bem. Especificamente ontem, a mesma senhora postou um texto sobre a glândula pineal, dizendo o que comer para ativá-la, o que não comer para não prejudicá-la, e algumas muitas pessoas tirando dúvidas com ela. Até aí achei bastante questionável, mas apenas isso, e me senti na obrigação de orientar essas pessoas que, na espiritualidade, cada um faz seu caminho e que, o trajeto dela não era a obrigação dos demais. Em resumo, ela excluiu meu comentário e me bloqueou porque tenho uma opinião contrária.

Espiritualidade é também estar aberto.

É também amar, no seu mais amplo sentido.

É ver Deus no outro.

Então, não adianta ficar de Namastê por aí se você não entende e não apreende seu significado.

Ela sofreu de um mal que acomete quem entra nessa área espiritual: o choque de se sentir tão, tão importante, que a tirou os pés do chão, da realidade. Claro que muitas vezes são os outros que incentivam isso na gente. Mas temos que cuidar do ego. E o ego prega muitas armadilhas. Não fosse a ânsia de passar o que aprendeu para o mundo todo e a agonia de tentar ser a pastora de determinado grupo, talvez ela tivesse sido mais feliz em suas ações. Deus queira que ela seja mais compassiva e humilde com quem escolhe outros caminhos para a luz. Tive que julgá-la um pouco para colocar o que senti, me perdoem por isso.

Ainda vou além sobre comer carne, água alcalina, amêndoas, pineal, etc. Sua pineal tem uma relação com carne, sim, mas não significa que comer carne de vez em quando vá te afastar de Deus e do amor, muito menos da ativação dela. Pode te atrapalhar um pouco, mas, tendo você, consciência do seu corpo-espírito, você pode alcançar grandes avanços na visualização de informações importantes para você mesmo – com ou sem carne. A carne traz sim uma egrégora de sofrimento animal. Mas existem muitas técnicas de limpeza e harmonização que te recolocam numa energia bacana. E é antes de tudo uma escolha pessoal.

Como já disse um mestre meu: se for para ser vegetariano reclamando toda vez que vai se alimentar, é melhor esperar a hora certa para fazer essa transição. A energia da infelicidade é perigosa.

Sim, nosso corpo precisa de muitos cuidados, é morada de Deus. Mas aqui ainda somos humanos, respeitemos nossa própria evolução, sem deixar de trabalhar para evoluirmos, e sem questionar tanto o tempo do outro.

Lembrei de uma conversa que tive com uma amiga sobre o quanto pesamos porque não conseguimos ajudar mais pessoas a se conectarem. E disse exatamente isso a ela: não somos santos, não somos deuses, somos humanos em busca da própria mudança e ainda temos um longo caminho para a evolução plena. E ser feliz é o primeiro passo para a conexão. Cuidando, definitivamente, de nós mesmos, antes de tudo, somos muito mais benéficos ao mundo do que podemos supor. :)

Fiquem em paz, sempre. E deixem os outros em paz. O caminho é de cada um. <3

Arte: Wonder Woman by Flash Daz, que diz muito sobre o que falei ali. Porque até os super-heróis precisam de uma massagem nos pés. ;)



Escreva seu comentário

* Campos obrigatórios