ariana

Entrevista: Ariana Borges e sua mágica encantadora

Publicado em 02/12/2016 • Entrevista

Conheci Ariana Borges há poucos anos. Não sabia eu que ela fazia mágica. Eu estava nos primeiros momentos do blog e ainda não tinha nem metade dos cursos que fiz. Talvez porque a segunda metade eu tenha feito com ela. Ela, leitora de aura, me disse que o blog ia crescer. Muito. Já era mágica dela. Só não imaginava àquele encontro que tudo que nos envolve também cresceu e floresceu: eu, ela, o blog, a mágica dela, até um pouco da minha. Mas ela conseguiu se tornar especialmente importante para mim, modificando minha vida para melhor, com muita mágica. Acho que acontece com todo mundo que cruza o caminho dela, seja com cursos ou atendimentos. Ela é desses seres encantadores que mudam a vida da gente pra melhor. Com muita leveza. Ariana não se coloca como ‘guru’, não sobe montes para meditar. Vai lá conhecer e experimentar. Vai ver qual que é daquela técnica. De pés no chão, transita entre um momento de raiva, frustração ou palavrão e transcende-o dois segundos depois, ao se conectar com o poder da criação.É também mágica que acontece nesses momentos. É um ser humano que modificou a minha vida e nutriu o Recife com uma série de técnicas novas e que abriram portas para tantas pessoas. A mágica da multiplicação: instruiu gente com sua mágica, que faz mágicas sem fim com os outros. Ela abriu portas para mim. E vai dizer: Mas porque você permitiu mudar, mila-mocinha. É. Tem razão. Mas sem essa mágica, nada seria feito. Então, afinal, nos resta agradecer, e muito, por Ariana Borges fazer parte da vida da gente, com toda sua luz florida e seu talento para o cuidado com o outro, cheio de movimentos brilhantes e perolados. Que a mágica continue. A gente segue agradecendo todo dia a universo por estar por perto dela!

 

Ariana, como é que você entrou no universo das terapias?

Acho que entrei como todo mundo meio que começa: em busca de mim mesma, de respostas sobre mim, de como viver a vida  de uma maneira melhor e mais leve, com mais discernimento. Parei de olhar a minha vida pelo buraco da fechadura e comecei a me apropriar dela com coragem, com vontade. Comecei a me conectar com o propósito de estar aqui, com o profundo dentro de mim e daí surgiram muitas coisas. Pessoas novas no caminho, mudanças de rumo, de vida; mudança de paradigmas e abertura de possibilidades diferentes dentro de quem eu era. Novos amigos e muita solitude, uma vontade de ficar só comigo e de perceber que na verdade eu era muita gente…rsrsrs

Houve algum momento de transição de uma profissão para outra? Hoje você atua somente como terapeuta e instrutora?

Houve sim, um momento que resolvi transcender os mundos dentro de mim e compreender que todo tempo aquele mundo holístico estava lá dentro de mim, só que não tinha nome, não tinha conhecimento letrado, nem científico. Apenas estava ali, desde sempre me fazendo companhia nas horas vagas. De repente foi ficando claro, foi tomando força, tomando fôlego e quando vi; já tinha deixado tudo para trás e estava entregue ao meu novo mundo – na verdade, ao mundo a que eu realmente pertencia.

Atualmente, trabalho como terapeuta e facilitadora de alguns cursos de autoconhecimento baseados na física quântica, para pessoas no geral – famílias, crianças, homens e mulheres. Tenho também trabalhos desenvolvidos e focados para empresas em desenvolvimento de equipes e líderes. Estou à frente do Instituto SamadhiWay, com meu parceiro de alma e também terapeuta e facilitador Ronald Guimarães. Conhecimento quântico muda a maneira como podemos viver as nossas vidas e guiá-las, é um trabalho diferenciado que revoluciona vidas de uma maneira geral nos aspectos físico, mental, emocional e espiritual.

 O que te motiva a ajudar as pessoas?

Eu quero muito que o mundo seja melhor, por que enxergo em cada ser a capacidade inata de fazer o melhor, da melhor maneira e da maneira que traz mais contribuições para humanidade. Basta olhar com os olhos de ver, e perceber o quanto as pessoas estão ávidas por demonstrar o seu potencial criativo, quantas ideias incríveis que surgem dia a dia e não precisamos mais criar insatisfações para agir, podemos inovar a partir deste lugar de se permitir enxergar o seu próprio potencial. Vejo em cada ser um potencial elevado que só precisa de um pequeno ‘sim’ .

 Existe também um trabalho de dentro para fora, no sentido de fazer mudanças internas para depois começar a atender? Como foi com você?

Uau.. Como existe! Este de fato é primordial e a chave de ir mais fundo. É preciso olhar pra si mesmo, é preciso olhar a sua própria mesquinhez, insegurança, desconfiança, desesperança, inveja e falta de fé… Não nos enganemos! Todo mundo acessa esses lugares de maneira diferente e não disfarcemos, olhemos! Quando nos permitimos olhar pra tudo que realmente nos afeta, ou que tentamos disfarçar, ou para os lugares que queremos parecer ser bonzinhos, o mundo nos ajuda a curar-nos e a curar os outros mais fundo – sem enrolação ou juízos de valor. Somos seres duais. Queremos ser ‘bons’ e que as pessoas sejam ‘boas’ com a gente, dentro do nosso conceito do que é ‘bom’, mas na verdade estamos presos e arraigados nos nossos próprios julgamentos e críticas, sobre nós e sobre todos. Então, o trabalho interior é importantíssimo. É onde aprendemos a não julgar, não criticar e nos perdoarmos e sermos de verdade contribuições para o planeta e para humanidade – além de sermos criaturas melhores e mais fáceis de conviver pelos que estão próximos de nós. Na verdade, o trabalho interior é tudo, pois nos faz enxergar as capacidades, as qualidades e que de fato somos seres especiais neste planeta; ele nos abre para enxergarmos que os outros também são seres incríveis. E quanto mais gente se reconhecer como um ser incrível e pleno, e se abrir para reconhecer o outro também, uau, coisas lindas acontecem!!!  

 Na sua sessão, muitas informações vão chegando espontaneamente e muita gente não entende como isso funciona, mesmo quando você não está conectada. Como funciona?

Então, eu diria que todos nós estamos conectados todo tempo, só não estamos conscientes dessa conexão. Na verdade, não estamos conscientes de muita coisa…rsrsrs… O segredo é não lutar, não julgar, abrir o coração Para sentir o outro, para amar o outro incondicionalmente, sem dizer que está certo ou errado…Apenas amar e se permitir ser o canal de cura para aquele ser.

Quando apareceu seu dom? Como foi esse processo de se ver como curadora?

Acho que todos nós temos um dom, que todos nós somos curadores neste planeta, e podemos observar isso no nosso dia-a-dia. Às vezes um sorriso de um estranho muda completamente a energia do nosso dia, isso é uma cura. Acredito que todos os seres deste planeta são especiais e que só precisamos nos abrir para isso, para reconhecer a divindade em nós. É simples!! Às vezes dá um trabalhinho, mas a gente consegue.

Não curo ninguém, é a pessoa que se cura quando ela se permite curar, quando ela se abre e diz ‘sim’, aí a mágica acontece e eu atuo facilitando o processo. É incrível ver quanto de capacidade podemos ter quando realmente estamos sintonizados com o propósito de se curar.

Qual a sensação que você tem quando alguém sai da maca mais leve, mais feliz? Já aconteceu de ‘não conseguir’?

Ainda não aconteceu, mas pode acontecer – e tudo bem; quem se cura é a pessoa, é a permissão dela, é a intenção dela, é o querer dela; eu apenas facilito com o que sei. Me sinto encantada cada vez que escuto os relatos dos meus clientes de quanto sua vida mudou e de quanto seu pensamento foi modificado e sua visão de mundo. É incrível!!

Que técnicas você utiliza hoje? Qual sua paixão?

Meu coração é grande, tenho muitas paixões… Não sei te dizer o que mais me acolhe dentro do que tenho compreensão. Sou muito apaixonada pelo Thetahealing, muito mesmo, mas também gosto de barras de access, leituras intuitivas (de aura e de registro akáshico), cura reconectiva, cura prânica… É muito coisa, e muito amor envolvido. Sou instrutora de alguns cursos de Thetahealing, e convido quem sentiu pelo menos curiosidade pelo nome, faça um curso e dê um saltona sua vida! Super recomendo, sem arrependimentos!

Dentro do consultório, qual a queixa mais recorrente das pessoas e como podemos (nós, o mundo), nos ajudar?

Uma excelente maneira de se ajudar é se perdoando e se permitindo conectar com o que é verdadeiro em si. Olhar pra si, é fundamental! As mais diversas queixas aparecem no consultório, desde questões de saúde, depressão, ansiedade, síndrome do pânico, traumas emocionais etc. O importante nestes tempos, é que as pessoas estão parando de achar que algumas coisas são normais, e, procurando ajuda e maneiras de como viver melhor. Acabou o conformismo de que “tenho que viver com isso”, as pessoas querem mais, elas querem se curar, se compreender e se libertar. Há um chamado interior assolando, e isso é muito bom! Amém!

 Qual momento mais lindo que você já passou?

Impossível te dizer qual o momento mais lindo, todos os dias são incríveis! Quando você vive o seu propósito, todos os dias são “UAU”! Há dias desafiantes, sem dúvida, dias que digo “Ai meu Deus!!”, e depois “UAU”! Sabe,  a vida é maravilhosa! E o propósito de estarmos aqui é sermos quem verdadeiramente somos e ajudarmos uns aos outros nesta jornada terrena. Então, vamos lá que temos muito trabalho a fazer!

Se você pudesse dar um conselho para uma criança e um idoso (um para cada), qual seria?

Para uma criança eu diria que nunca deixasse de acreditar que tudo é possível e para um idoso eu diria que ele voltasse a acreditar que tudo é possível, por que na verdade é! Tudo é possível!

Como seria um encontro seu com Deus?

Rsrs…eu me encontro com Deus todos os dias …Na verdade estamos juntos! Deus está em todo ser vivente e não vivente, Deus também está em mim. Deus está em todas as experiências boas ou ruins, são aprendizados da nossa alma. Meus encontros com Deus, são lúdicos, loucos, intensos e suaves, amor, vigor, plenitude e graça. Assim é Deus para mim! Gratidão!

 



Escreva seu comentário

* Campos obrigatórios