coletor-mestrual-recife

Saiba tudo sobre o coletor menstrual

Publicado em 04/01/2016 • Deu certo

coletor-mestrual-recifeFinalmente comprei o meu coletor menstrual e decidi compartilhar esta experiência com vocês, afinal, é um produto que qualquer mulher mais conectada com a natureza pode gostar de ter. É o seguinte. O copinho é feito de um material médico siliconado incapaz de causar alergias e não é incômodo. Fiquei muito pé atrás para comprar, pois o primeiro modelo que vi “ao vivo” não curti, era bem duro e maior que o meu. Então, depois que vi ao vivo este novo modelo, percebi que poderia ser uma boa opção. Bom mesmo é ver um de perto para poder ter a exata noção.

Nunca gostei de absorvente, interno ou externo. Mas, dentro de todas as possibilidades, acredito que fiz uma boa escolha pelo coletor. É menos agressivo à natureza, é mais higiênico, só precisa comprar uma vez em vários anos e é seguro. Fui para a academia com ele e segurou a onda direitinho. Dura entre 8h e 12h para fazer a troca. Basta jogar na descarga (ou onde quiser) o sangue que tiver dentro e lavar com água e sabão neutro. Ou seja, você sai de casa e só tira quando voltar, basicamente! :D

A fase de adaptação é normal. Comprei da marca Inciclo e achei bem molinho. O tamanho assustou sim, mas nada que não seja adaptado. Dá pra usar e você esquece que tá com ele tranquilamente. Não vasa e não vai lá dentro como o absorvente interno. Fica pertinho da saída.

copo-menstrualAs únicas coisas que precisei observar foram:
1. No primeiro uso, a dobrinha que a gente faz para ele entrar fica tensionada, então, tem que ter cuidado para não escorregar, porque se soltar antes da hora pode machucar.
2. O cabinho. Cortei muito porque incomoda. Deixei quase nada para poder ficar confortável. Depois disso, só sucesso. Tem gente que tira todo o cabo e usa a musculatura para retirar o coletor. Não quis arriscar, deixei um tiquinho e ficou ok.
3. Na hora de tirar, cuidado com o vácuo. É importante tirar devagar e ir apertando para entrar ar.
4. Higienizar as mãos sempre e o copinho também.
5. Às vezes, na pressa, a gente não coloca direito. Então, para evitar isso, foi mais fácil ~para mim~ molhar ele antes de utilizar. Se não tiver bem posicionado, pode machucar.

É uma nova maneira de se relacionar com a menstruação. Tem gente até que vibra de ver o sangue ali, vivo, com sua textura própria, sem cheiro, sem nada. Tem gente que usa esse sangue para adubar plantas e tudo o mais. Antigamente, vários povos tinham líderes que se acocoravam para jorrar o sangue da menstruação de volta para a Terra, num sentido de devolução e cura de energias. Outros usam esse sangue até para fertilizar plantas.

Eu sei, parece nojento falar de tudo isso. Mas ó, quebrando essas barreiras, vamos lembrar que não é nojento menstruar, falar disso, ser mulher. Somos irmãs, filhas de Gaia. Menstruar, sangrar, ser mulher, é tudo natural. É exatamente quem somos. E o coletor muda essa relação da gente com a gente mesmo. O sangue que colocamos para fora é bem pouco, acredite. O absorvente externo faz a gente achar que é muito, mas não é. É uma textura linda, uma cor linda. A hora é de compreender que esse período é também de cura, vamos nos abrir para isso. :)

 

As artes: todas são do Pinterest.



2 Comentários

  1. Scharlene Guedes
    4 de janeiro de 2016

    Amei seu texto, Mila!
    E amei saber que você entrou com tudo para esse time. De mulheres que se amam e amam o planeta.

    Beijão!

    Reply

Escreva seu comentário

* Campos obrigatórios