terapia-sistemica

Constelação Sistêmica Familiar com Core Energetic

Publicado em 14/03/2016 • Constelação Familiar

Com o objetivo de unir duas poderosas ferramentas terapêuticas no atendimento individual aos seus pacientes, a Terapeuta Scheila Nascimento Gomes inova os atendimentos de Constelação Sistêmica Familiar de consultório com a aplicação de técnicas do Core Energetic.

terapia-sistemicaA Constelação Sistêmica Familiar atua diretamente nos emaranhados que causam medos, angústias, paralisações, padrões repetitivos e conflitos na vida. E esses emaranhados acabam causando um bloqueio e estagnação seja na vida pessoal e ou profissional.

Já o Core Energetic é uma técnica de movimentos corporais que atua nos sentimentos e emoções distorcidas, traz a leveza e a harmonia para a vida, libera os padrões negativos, promove ao corpo e a mente um alívio de tensões provocadas pelos emaranhados e proporciona a vida uma transformação saudável e efetiva.

Euzinha já marquei uma sessão na semana que vem para experimentar a junção das duas técnicas e acho que vai ser muito bom! =)

Os atendimentos são com horário previamente agendado através do fone: (81) 99236.9343 zap e ou pelo e-mail: espacoterapeuticolis@hotmail.com

Quem é Scheila Nascimento Gomes? Terapeuta Sistêmica com formação internacional em Constelação Sistêmica Familiar pelo Hellinger Institut Landshut da Alemanha, Formação Internacional pelo Hellinger Institut Landshut da Alemanha em CORE ENERGETIC nas Constelações Sistêmicas Familiares, Especialista em Terapia Sistêmica de Casal e Família com foco em Analise Bioenergética pelo Libertas Comunidade, Formação Internacional em Terapia Ayurveda pelo Jiva Intstitut da Índia, Terapeuta Floral com especialização em Florais de Minas. Especialista em Terapia Transgeracional com trabalhos realizados em congressos no Brasil e na Europa e publicação do Artigo: Um olhar da família através da ancestralidade: a transgeracionalidade na dinâmica familiar dentro da visão sistêmica, no livro Família e Clínica um encontro com a Análise Bioenergética – 2015.

Imagem: Google


Escreva seu comentário

* Campos obrigatórios